EDP negocia energia solar com startup em Minas Gerais

Data: 10/01/2019 - 17:25

photovoltaic-491702_960_720

A EDP Energias do Brasil construirá uma usina solar em Minas Gerais para a Enercred, startupvencedora da edição de 2017 do programa de aceleração da EDP Starter Brasil. A startup oferece serviços de assinatura de energia renovável para consumidores residenciais e alugará da EDP a planta solar, com potência de 91 kWp.

Em nota, a EDP informou que o projeto solar de geração distribuída funcionará na modalidade compartilhada, o que possibilitará a adesão de diversos clientes a uma mesma planta fotovoltaica. Com um período contratual de 15 anos e início da operação previsto para o primeiro semestre de 2019, o empreendimento será composto por 350 módulos fotovoltaicos, que permitirão a geração de 14 MWh/ano.

“O fechamento desse negócio demonstra a importância do fomento ao ecossistema empreendedor e reforça o nosso compromisso de contribuir, revelar e ajudar a desenvolver empresas promissoras do setor elétrico”, destaca Carlos Andrade, vice-presidente de Novos Negócios da EDP.

A necessidade de expansão do modelo de negócio da Enercred surgiu devido à grande procura de clientes pelo serviço da empresa. No início de 2018, a Enercred gerava em sua usina anterior 15 kWp, para cerca de 20 clientes. Em 2019, a expectativa é elevar a capacidade de geração a 150 kWp ao fim do primeiro trimestre, energia suficiente para atender cerca de 100 consumidores.

“Nossa relação de parceria com a EDP surgiu no EDP Starter Brasil. A aceleração contribuiu para a nossa evolução como empresa. Por isso, acreditamos que a assinatura deste contrato poderá ser um marco no segmento de solar, uma vez que o projeto-piloto permitirá uma troca de conhecimentos para ambas as empresas, trazendo um novo modelo de negócios que contribuirá para o avanço dos nossos serviços”, afirma José Otávio Bustamante, CEO da Enercred.

O modelo de negócio da Enercred consiste em uma plataforma que permite aos consumidores adquirir créditos de energia gerados por uma usina de fonte renovável. Isso proporciona economia ao cliente final, na forma de descontos na conta de luz convencional, além dos ganhos ambientais, como a redução de emissões de CO2.

Já a EDP possui uma unidade dedicada à implementação de empreendimentos solares de autoprodução e geração distribuída, sendo a responsável pela construção, operação e manutenção dos sistemas. No segundo semestre de 2018, a companhia assinou um contrato para a construção de uma usina que fornecerá 15 mil painéis fotovoltaicos para 58 agências do Banco do Brasil, em Minas Gerais. A iniciativa permitirá uma economia de cerca de R$ 82 milhões em um período de 15 anos para o BB.

A EDP ainda é a é a responsável pela entrega de um projeto de energia solar para o Hospital do Grupo de Assistência à Criança com Câncer – GACC Vale do Paraíba, localizado em São José dos Campos, no interior de São Paulo. Em fase final de implantação, o sistema contará com 566 painéis fotovoltaicos em seu telhado e irá gerar 232 MWh anuais, o que equivale ao consumo de 64 casas no mesmo período.

O estado de Minas Gerais tem a maior participação em energia solar distribuída, com 103,4 MWp instalados. A geração solar distribuída no Brasil ultrapassa 500 MWp instalados, com investimentos acumulados de R$ 2,5 bilhões, mas que representa menos de 0,01% da demanda nacional. Com 80 milhões de unidades consumidoras no país, a solução solar tem enorme potencial de crescimento no Brasil.

 

Fonte: CanalEnergia