Energia: informação e tecnologia são base para melhores resultados, afirma Marcelo Otte

Data: 25/08/2017 - 17:01

marcelo otteMarcelo Otte, foi protagonista de um webinar realizado no último dia 10 de agosto. O tema não poderia ser mais propício: “Economia de Energia nas Organizações”.

Questionado sobre como e quando o empresário deve buscar uma alternativa para diminuir custos de energia, ele afirmou que essa busca deve ser constante para que as empresas consigam manter a sua competitividade. Confira a entrevista realizada após o evento:

AssessoriaNeste momento atual, as empresas precisam ‘enxugar’ custos ao máximo para dar continuidade aos seus negócios. Com relação a energia, quando e como o empresário deve buscar uma alternativa para ter menores gastos com esta conta?

Otte –  A busca por redução de custos deve ser uma preocupação constante em qualquer organização que deseje manter-se competitiva, além de ser, no caso da energia elétrica, uma questão não somente financeira, mas também ecológica. A forma de buscar essa economia pode variar bastante, a depender do perfil de consumo, já que a fatura de energia elétrica é composta por valores de naturezas diversas, como a energia elétrica em si, a demanda, que é o pagamento pelo uso da rede de distribuição, encargos federais e impostos estaduais e federais. Sabendo disso, é fundamental para o empresário abastecer-se de informações em quantidade e qualidade suficientes para que possa tomar a melhor decisão. Em alguns casos, a depender da disponibilidade de profissionais capacitados na empresa, faz-se necessária a contratação de consultoria externa, prestada por engenheiros eletricistas experientes e que indicarão as ações necessárias para redução dos custos. Muitas vezes essas ações sequer envolvem grandes investimentos, como a troca de equipamentos por outros mais eficientes, sendo suficiente pequenas alterações operacionais ou na forma de contratação da energia para que já se obtenha uma boa economia. Porém em qualquer cenário a base de tudo é a informação, que nem sempre está disponível apenas na fatura de energia, sendo necessário ter alguma forma de acompanhamento mais frequente, como um bom sistema de coleta de dados de consumo, que não apenas proverá muito mais informações sobre o perfil de consumo, mas também disponibilizará essa informação tratada de forma a facilitar a tomada de decisão.

AssessoriaJá as empresas produtoras de energia, das menores às maiores, quais as principais dificuldades por elas hoje enfrentadas?

Otte –  Na ponta da geração temos hoje um grande debate regulatório que deve reformular muitas das regras às quais somos submetidos hoje, mas analisando a situação atual, vemos que o grande desafio das empresas produtoras de energia é vender sua produção a um preço que seja, ao mesmo tempo, interessante para seus clientes, mas que viabilize a operação da usina e amortização do investimento, caso seja uma usina relativamente nova. Temos ainda um cenário particular para as usinas de fonte hidráulica devido à hidrologia desfavorável nos últimos anos, que fez com que o governo direcionasse uma parte maior da produção de energia para usinas movidas a combustíveis fósseis, visando poupar água dos reservatórios das hidrelétricas. Por outro lado, para as usinas de pequeno porte, com potência menor que 5.000 kW, abriu-se um novo mercado, a preços interessantes, a partir da publicação da resolução 482/2012, que permitiu aos consumidores produzir sua própria energia (os prossumidores), seja através de ativos de geração de sua propriedade, seja alugando usinas ou formando cooperativas detentoras de usinas, onde o consumidor cooperado tenha uma parcela da energia destinada às suas cargas. Em quaisquer um dos casos é importante que o gerador tenha o controle da geração na mão, para que possa extrair o melhor de sua usina, seja pela excelência na gestão da hidrologia disponível, seja pela capacidade de planejar estrategicamente sua operação baseado em dados abundantes e de qualidade.

Assessoria – Quais são as tendências futuras na área de tecnologia em relação ao setor energético?

Otte –  No curto prazo eu diria que é a disseminação em larga escala do gerenciamento da informação de maneira inteligente. Coletar dados e disponibilizá-los remotamente não é exatamente algo novo, mas se observarmos o universo de agentes que compõe nossa matriz energética, apenas uma pequena parcela tem esse tipo de gestão (especialmente entre os consumidores e pequenos geradores) e menos ainda o faz utilizando sistemas efetivamente inteligentes, práticos e convenientes. A médio/longo prazo já é mais difícil prever, mas vemos o mundo vem passando por uma verdadeira revolução tecnológica, análoga ao que aconteceu quando passou-se a produzir semicondutores em escala industrial, a revolução da eletrônica, ou ao que aconteceu quando a internet virou algo disponível a todos, na revolução da internet. A bola da vez é justamente a utilização da internet para que máquinas se comuniquem com máquinas. Isso pode ser encontrado em diversos fóruns de debates, cada um batizado de uma forma para que pareça mais incrível ou revolucionário (Smart Grid, Indústria 4.0, Internet of Things, etc.), mas no fundo é tudo a mesma coisa: máquinas falando com máquinas. A utilização da internet para interconexão entre máquinas deve superar a utilização por seres humanos em, no máximo, 5 anos, mesmo levando em conta que máquinas se comunicam utilizando muito menos banda do que nós, que trocamos e-mails com anexos enormes, assistimos vídeos via streaming e fazemos downloads e uploads cada vez maiores graças ao barateamento da banda-larga. A vantagem da comunicação M2M (machine to machine) é que elas são capazes de processar dados numa velocidade astronômica quando comparado à velocidade que nós, meros mortais, temos para fazer a mesma coisa. Essa interoperabilidade aliada à evolução das tecnologias de machine learning, que é a capacidade dos sistemas aprenderem e se auto-aprimorarem, fará com que, no futuro, usinas, prossumidores e consumidores conversem entre si e com as redes de distribuição, fazendo com que se aproveite ao máximo a capacidade de cada um, nos horários de menor preço e com uma confiabilidade jamais vista.

Assessoria – A Vetorlog tem soluções para os diferentes públicos deste mercado, desde o gerador ou consumidor. Quais são os diferenciais da Vetorlog e por que escolhê-la?

Otte – Nós somos uma empresa que une a experiência de mercado com a tecnologia. Nossos sistemas, produtos e serviços são desenvolvidos com foco nas necessidades identificadas junto aos clientes e também no dia-a-dia da nossa operação. Hoje podemos nos orgulhar de ser uma das empresas mais experientes no ramo de serviços e sistemas inteligentes para gestão de usinas, estejam elas operando na CCEE (Câmara de Comercialização de Energia), estejam elas operando em regime de geração distribuída, sob a resolução 482/2012. Também oferecemos soluções para consumidores que visam gerenciar suas cargas utilizando ferramentas cujas características se refletem em mais produtividade, assertividade e conveniência. Além das ferramentas já existentes e em constante evolução, a Vetorlog, por ser desenvolvedora da tecnologia, implementa novas funcionalidades que atendam a necessidades identificadas durante as interações com o mercado, sempre que identificamos esse tipo de oportunidade, ou seja, cliente Vetorlog não fica parado no tempo em termos de sistema de gestão. Além disso nossa equipe técnica presta um suporte proativo e de alta qualidade, o que faz com que nossos clientes possam manter o foco em suas atividades fim, com a tranquilidade de ter sua gestão energética em boas mãos.

Assessoria – Qual foi a sua avaliação a respeito do webinar realizado no último dia 10?

Otte – Para nós, da Vetorlog, foi uma experiência gratificante poder contribuir com os espectadores do Webinar em termos de conhecimento e experiência. O uso da plataforma Webinar, cuja popularidade temos visto crescer entre as empresas nos últimos tempos, mostrou-se muito eficaz, pois permite às pessoas o acesso ao conteúdo com baixo custo, por não envolver deslocamento, e com muita conveniência, pois é possível assistir a transmissão de qualquer local com acesso à internet, além de poder ser visto em outros horários ou mesmo rever quantas vezes quiser, por ser o Webinar gravado.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Vetorlog