Subestação para uso industrial reduz consumo e instabilidade na rede elétrica

Data: 20/06/2018 - 16:27

A Siemens disponibilizou ao mercado uma tecnologia que permite clientes industriais e concessionárias reduzirem o volume de obra civil e o espaço necessário para a construção de novas subestações. Segundo a companhia, as Subestações Compactas se destacam por serem modulares, atendendo a diferentes tipos de configurações de subestações. “Em função da configuração exigida pelo cliente, conseguimos avaliar e propor um arranjo onde a subestação é toda montada na fábrica da Siemens, sobre um chassi metálico com dimensões aproximadas de 18m x 3,2m, tamanho suficiente para transporte em uma carreta. Ao descarregar a subestação compacta no cliente, a mesma é colocada sobre uma base civil simples onde poucos serviços são necessários para a energização final, tais como montagem de alguns componentes que são retirados para o transporte e o comissionamento e start-up, após acoplamento no sistema de energia do cliente. Ou seja, o serviço em campo possui tempo e complexidade bem reduzidos quando comparados a subestações convencionais”, segundo o Engenheiro da Siemens, Robinson Ciorla Dias.img02

Ciorla explicou que as subestações convencionais, que exigem obras civis, possuem algumas características indesejadas pelos clientes, tais como a mobilização de muitos colaboradores por tempo elevado, necessidade de canteiros de obras e grande espaço disponível para a subestação. Porém, as Subestações Compactas Siemens seguem uma tendência de mercado, exigindo soluções que ocupem menos espaço e se aproximem ao máximo do conceito plug and play.

Hoje a Siemens é capaz de montar uma subestação com capacidade de transformação de até 138kV e 25MVA. Trata-se de uma subestação bastante robusta para fins industriais e também para o uso de distribuidoras de energia elétrica. O engenheiro Leandro Figueiredo, que acompanhou o processo de fabricação, transporte e montagem em campo de algumas subestações compactas, fornecidas para uma distribuidora de energia, disse que a complexidade de projeto, logística de transporte, montagens e interligações fica com a Siemens, tendo o cliente a oportunidade de acompanhar os principais marcos da execução na fábrica da Siemens. “Realizamos todo o trabalho e ensaios em nossa fábrica, deixando o mínimo possível para a planta do cliente. Isso reduz significativamente a interface do cliente com diversas empresas envolvidas na construção da subestação” destaca Figueiredo.

Fonte: Canal Energia